quinta-feira, 11 de dezembro de 2008

Continuando Tutorial Drupal para o Humaniza SUS

Começamos o segundo dia de oficina. O objetivo do dia de hoje é dominar os recursos mais avançados do Drupal para gerenciamento, organização e visualização de informações. Estou falando aqui, portanto, dos módulos Views e CCK. No entanto, antes disso, iremos brincar um pouco com o módulo DrupalIt.

Observação: dois módulos que acabei de ver na área de Rating/Evalutation e que vejo que pode valer a pena implementar na Rede Humaniza SUS:
- User Expertise: Evaluate a users expertise and display the result on the user's profile page;
- User Interests: Shows a user's most used taxonomy terms on the profile page;
- User Visits: Tracks a users profile visits and displays the latest visitors on a user's profile page.

1. Baixamos o DrupalIt e começamos a brincar com as configurações dele. Habilitamos na área de Controle de Acesso para usuários anônimos poderem votar e mudamos as configurações de votação de maneira geral. Simples e direto. Visitamos o diretório do módulo DrupalIt para verificar como é feito o tema em CSS e como ele usa uma imagem PNG para formatar sua caixa de fundo de votação.

2. Começamos a mexer com o CCK. A idéia por aqui é começarmos a ganhar uma certa habilidade em manusear e criar nodetypes personalizados.
Primeiro, instalamos o módulo CCK e habilitamos seus recursos nativos.
Criamos um tipo de conteúdo personalizado de Projeto para o nosso Drupal, usando campos de caixa de seleção e radio box.
Para ilustrar como melhorar as opções de campos do CCK, instalamos o Email Field, que oferece um campo de email e checagem de validade para um formulário que possa ser criado.

----- Almoço -----

3. Voltamos do almoço e agora iniciamos a instalação e configuração do módulo Views, que vai auxiliar a criar filtros e visualizações dos tipos de conteúdos criados pelo Drupal.
Iremos configurar uma View simples que permita apresentar os posts do blog em formato tabela, com destaque para campos de autor e título. A idéia da atividade é apenas entendermos a dinâmica de configuração do Views, principalmente a parte de argumentos e filtros.
Utilizamos o módulo Views Calc para expandir as possibilidades de geração de relatório do Drupal. Esse módulo permite realizar operações aritiméticas nas colunas de um relatório.

Experimentos de configuração de Views com CCK...

Creio que conseguimos nesses dois dias explorar os recursos básicos do Drupal para um administrador de rede saber como se virar e dar conta de tocar o ambiente em produção. Ficamos na escuta!

quarta-feira, 10 de dezembro de 2008

Google Tradutor...

Fazia um tempo que eu tava querendo algo que facilitasse a tradução de alguns sites em que venho trabalhando. Hoje, de uma forma muito interessante, encontrei um link numa lista de email em resposta a uma mensagem em inglês que eu tinha feito e que me dava o caminho dessa ferramenta.

O Google Tradutor permite traduzir dinamicamente qualquer site para 36 línguas.

Veja um exemplo bem prático aqui: Natureza Divina!

Tutorial - Introdução ao Drupal

A idéia por aqui é criarmos um tutorial para os técnicos do Ministério da saúde, da área de Humanização que vão futuramente administrar a rede Humaniza SUS.

Vamos lá:

1. começamos por preparar o ambiente de produção para instalar e testar os módulos em Drupal. Vamos instalar o Xampp para Windows. Vamos instalar inicialmente o pacote Xampp Lite.
A versão Lite deu bug no Windows dos notebooks.
Partimos para versão full do Xampp que vem com um instalador automático.
Instalamos e aparentemente deu certo! Apache e Mysql running.
O Xampp foi instalado no diretório c:\xampp.

2. agora, vamos baixar o pacote básico do Drupal para rodar no xammp.
Colocamos o pacote dentro do diretório C:\xampp\htdocs\xampp e descompactamos. Mudamos o nome do diretório para drupal para facilitar o acesso.

3. vamos criar o banco de dados inicial para o Drupal. Acessando o PhpMyadmin via xampp, criamos o banco.

4. entramos os dados do banco criado na tela de instalação do drupal. scripts rodando... Pronto! Drupal no ar.

5. o Drupal instalado, criamos a conta do primeiro usuário administrador.

6. logados no site, iniciamos o processo de configuração. Agora, iremos baixar a tradução para português brasil do drupal.

7. Baixamos o arquivo do site do Drupal. Entramos na área administrativa e iremos habilitar a configuração do módulo Locale, que permite habilitar outras línguas. Habilitado o módulo Locale, entramos na configuração desse módulo. Acrescentamos a linguagem português/brasil e importamos o arquivo pt-br.po que havia sido baixado do site Drupal.org. Feito isso, a tradução passa ser considerada pelo Drupal. Agora, basta configurar a linguagem como "enabled" e "default" e pronto... A interface do Drupal estará toda traduzida para o português, o que certamente vai facilitar nossa configuração e customização do sistema.

8. Agora, iremos configurar temas. Iremos ver os padrões e os temas do Drupal. Algo que eu gosto muito no Drupal é uma boa variedade de temas que ele oferece. Além de permitir uma maior facilidade em usar coisas prontas, permite um bom caminho de estudo para quem tem interesse em trabalhar com CSS e ver os diferentes formatos que ele permite.

9. Para instalar um tema, temos de baixar o arquivo do tema compactado, descompactar e subir o diretório do tema na pasta "themes" do diretório onde o Drupal está instalado. Depois, basta ir na área administrativa, de temas, e habilitar o que foi instalado.

10. Começamos a abrir os diretórios dos temas que foram instalados para dar uma olhada nos arquivos de folha de estilo (CSS) que permitem configurar os temas. Fizemos algumas modificações no CSS do Garland a partir do arquivo style.css. Baixamos o Zen e começamos a dar uma olhada no Starter Kit para configuração e customização de temas próprios. Mostrei para o pessoal o Drupal Theme Guide, que é um tutorial para construção de temas feito pela comunidade Drupal.

11. Vamos trabalhar com blocos e com os módulos padrão que acompanham o Drupal. Fomos na área administrativa e habilitamos alguns módulos: Blog, Contact, Book, Search e Statistics para podermos iniciar algumas configurações básicas. Depois, fomos a página principal e eu mostrei como configurar um novo endereço para o conteúdo que aparece nessa página: Administrar -> Configurações do Site -> Informações do Site!

12. Mexemos na configuração de blocos e modificamos a disposição de vários conteúdos típicos do Drupal.

13. Começamos a trabalhar com configuração de campos personalizados de perfil do usuário, módulo Profile do Drupal. As opções são bem interessantes e flexíveis, permitindo uma série de operações muito úteis para formar um banco de dados de usuários...

... fim do primeiro dia!

terça-feira, 9 de dezembro de 2008

Google Friend Connect

Vou começar a experimentar as possibilidades de desenvolvimento de Redes Sociais a partir desses widgets. A idéia é ir relatando por aqui as experiências e resultados que eu for obtendo.

O mais interessante é que essa aplicação vai super ao encontro das idéias que a gente tá começando e esboçar sobre aprendizagem distribuída usando feeds e widgets acoplados....

Um olho desperto e um olho vazado

Um pé na soleira e um pé na calçada, um pião
Um passo na estrada e um pulo no mato
Um pedaço de pau
Um pé de sapato e um pé de moleque

Um pé de moleque e um rabo de saia, um serão
As sombras da praia e o sonho na esteira
Uma alucinação
Uma companheira e um filho no mundo

Um plano de vôo e um segredo na boca, o ideal
Um bicho na toca e o perigo por perto
Uma pedra, um punhal
Um olho desperto e um olho vazado

Um olho vazado e um tempo de guerra, um paiol
Um nome na serra e um nome no muro
A quebrada do sol
Um tiro no escuro e um corpo na lama

Um nome na lama e um silêncio profundo, um pião
Um filho no mundo e uma atiradeira
Um pedaço de pau
Um pé na soleira e um pé na calçada

Milton e Chico

quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Como usar a Web Analítica - Resumindo o livro de Avinash Kaushik

Faz umas 5 semanas que eu parei para escrever o meu projeto de doutorado para prestar o exame na ECA. No intervalo do trabalho, passei numa livraria, achei o livro interessante, comprei e comecei a estudar. Chamou a atenção e foi ficando cada vez mais interessante. Tá me abrindo um monte de possibilidades e como forma de compartilhar algumas descobertas, vou jogando algo por aqui:



Vamos lá:

- A Web Analítica é o controle, coleta, medição, relatório e análise reais dos dados quantitativos da Internet para otimizar os websites e as iniciativas de marketing na web;
- problemas de se usar os logs de servidores para analisar os dados:
- cache da página feito pelo ISP;
- robôs de pesquisa;
- calcular os visitantes exclusivos;
- Como deve ser a Web Analítica:
- análise de densidade de cliques;
- finalidade primária do visitante: fazer pesquisas;
- taxas de término de tarefas;
- tendências segmentadas do visitante;
- análise de impacto dos diversos canais



- Trinity: uma predisposição e uma abordagem estratégica
- critérios acionáveis e métricas;
- análise do comportamento: análise dos dados do fluxo de cliques;
- análise dos resultados: elemento e daí!;
- análise da experiência: pesquisas de campo;
- quatro métodos para coletas de dados: weblogs, webbeacons, tags javascripts e sniffer de pacotes;
- tendências de mecanismos de pesquisa:
- Google Trends;
- Microsoft AdCenter Labs;
- comece o processo de trabalhar com as perguntas conceituais (aonde mesmo queremos chegar?) no início - bem antes de ter uma ferramenta de webanalítica, bem antes de saber qual o site e o que ele faz.
- regra 10/90: 10% do orçamento em ferramentas e 90% do gasto com pessoas pensantes;
- os 10 blogs mais importantes da Web Analítica;
- aprofunde-se nas áreas específicas: recomendo que encontre pequenos nichos de segmentos de dados para se aprofundar;
- na web, os números absolutos raramento importam. As tendências sim, e as tendências segmentadas, muito mais.
- melhores práticas para garantir melhores dados de análise:
1. marque com tags todas as suas páginas;
2. coloque as tags por último;
3. coloque as tags em linha;
4. identifique sua definição de página exclusiva;
5. use os cookies com inteligência;
6. considere problemas da codificação de links;
7. tenha cuidado com as redireções;
8. confirme se os dados estão sendo corretamente capturados;
9. codifique corretamente as experiências da Web rica.
- qual métrica devo escolher? -> teste das 3 camadas de "e daí?"
- toda jornada de Web Analítica começa com 3 perguntas fundamentais:
- como muitos visitantes chegam ao nosso site?
- por quanto tempo eles ficam?
- quantas páginas eles visitam?
- definições de métricas básicas:
- visitas: uma contagem de todas as sessões durante um certo período de tempo;
- visitantes únicos: uma contagem de todos os cookie_ids exclusivos durante um certo período de tempo;
- bounce rate: a procentagem do tráfego de quem ficou em seu website por menos de 10 segundos.
- estamos tratando nossas 10 principais páginas como nossa home? São pontos onde ações podem ser tomadas;


- Taxas de Referência:
- taxa geral de respostas para pesquisas na Web: 1 a 2%;
- de acordo com o último estudo da E-consultancy, 80% do tráfego da Internet iniciam sua experiência de navegação em um mecanismo de pesquisa;

continua....

terça-feira, 2 de dezembro de 2008

anotações sobre aprendizagem distribuída

quando temos dois elementos fundamentais:

- abundância de informação

e

- desintermediação no acesso e manipulação da informação

algumas coisas interessantes podem acontecer e ter desdobramentos na forma como aprendemos, na forma como desenvolvemos domínio de novos saberes...

Que saberes?
- atitude rede;
- filtrar;
- selecionar;
- categorizar;
- manipular;
- remixar;
- articular;
- conversar;
- recriar...

As apostas nessa nova forma de pensarmos no que se poderia chamar antigamento de Ensino à Distância é que a rede permita já tem condições técnicas para que as pessoas compartilhar trechos de conhecimentos, pedaços de trilhas, objetos e que eles possam ser remixados e descobertos em cada itinerário individual que alguém que possa percorrer. Transformar o blog numa Caderno de estudo e pesquisa, recheado de mashups, widgets que nada mais são do objetos de estudo, simulação e desenvolvimento.

Algumas idéias muito bacanas aqui:

Stoa: A Web Social na USP
View SlideShare presentation or Upload your own. (tags: sns stoa)

Sociograma do Tecendo Redes

A ativação de redes do projeto Tecendo Redes, uma parceria entre o Cenpec e a WebLab.tk na ativação, vem ocorrendo desde o fim de 2007, quando experimentamos pela primeira vez os princípios do café, do biomapa e outros recursos que acabaram se desdobrando num processo mais consistente e maduro...

A lista de emails do Tecendo já faz um ano de existência. São 120 participantes, em torno de 2500 mensagens publicadas na lista e um grupo de uns 55 participantes bem ativos. Números bem interessantes para uma rede em formação....

O princípio de ativação desse projeto foi bastante simples. A idéia do projeto Tecendo Redes é articular atores que trabalhem com educação num determinado território para pensarem novas formas de utilização dos dispositivos educacionais (praças, clubes, hospitais, igrejas, terrenos, etc.. etc.. etc...) de uma forma integrada, para além das próprias limitações das escolas.

Como ativamos, então?

1. realizamos um encontro presencial bastante simples, com o desenvolvimento de um Biomapa para mapear os locais relevantes para o projeto na cidade e um café para pensarmos em como usar os dispositivos digitais para articular novos usos desses locais.
2. criamos uma lista de email para dar continuidade nas conversas e encontros;
3. a equipe do Cenpec usou a lista como canal de articulação e continuidade de atividades e tarefas entre os encontros presenciais;
4. usar a lista virou algo natural e fez todo o sentido para eles enquanto moradores e ativistas de Santos.

Simples. direto. Ingredientes fundamentais para abrir espaços de conversação. Apenas isso. O resto, é com ele.

Depois de um ano, o organismo já tá ficando assim:

segunda-feira, 1 de dezembro de 2008

usando a inteligência coletiva para blogar

seguindo na linha de aproveitar o que as multidões fazem nos mecanismos de pesquisa como tema para produção de conteúdo para um blog, descobri um recurso muito rico e interessante, além de muito simples de usar: o Google Adwords KeyWord Tool.

A idéia básica por trás da ferramenta é a seguinte:

1. você pode digitar uma palavra-chave qualquer e o Google te retorna o que as pessoas estão pesquisando na Web, com que frequência e com que nível de anunciantes relacionados ao termo.
2. você pode digitar o endereço de um site e o Google vai revirar o conteúdo dele e sugerir palavras-chave que são significativas para aquele conteúdo. Além dessa sugestão, mostra as médias mensais de busca dessas palavras, além do nível de interesse por anunciantes.

Recurso fantástico para quem tá interessado em descobrir como a multidão na Web está navegando, pesquisando e circulando informação a um determinado tema. O interesse que tenho nisso aqui é usar esse tipo de recurso para ajudar a produzir conteúdos relevantes para os sites relacionados aos conteúdos de pesquisa. Ouro puro.

feed burner

andando pela webanalítica algumas coisas começam a fazer sentido quando a idéia é construir uma ecologia de monitoramento do que se passa dentro de um ambiente web.

o caso dos feeds é interessante.
não tenho muita idéia se há alguma pesquisa significativa que mostre o consumo médio dos feeds nos blogs brasileiros. mas, acompanhar como isso vem acontecendo em nossos sites é algo que vale a pena, ao menos, como estudo.

colei no feedburner para aprender algo mais sobre isso!

Como a idéia era estudar a partir desse blog aqui, peguei dois tutoriais que valem a pena dar uma olhada. Explicam um pouco mais como usar o tal....

How do I create a Blogger Feed?

O que o FeedBurner pode fazer pelo seu blog

sábado, 29 de novembro de 2008

desvendando a cauda longa



produzir para um blog é algo que vem me chamando a atenção nos últimos tempos, a partir de uma questão bastante simples: o que interessa para as pessoas que estão pesquisando, lendo o que eu venho pesquisando e publicando por aqui?

descobrir que posso direcionar melhor esse material de pesquisa, de forma a tornar mais acessível e mais interativa a própria pesquisa é algo que me interessa. até para experimentar formas que possam me ajudar a escolher no que vou focar.

vindo aqui para Itupeva, casa da família e tals, tirei um restinho da noite para dar uma pesquisa num material que me chamava a atenção no SlideShare:

Social Media Measurement
View SlideShare presentation or Upload your own. (tags: poplabs ruger)


dessa apresentação, descobri o HitTail, que é um abiente de Webanalítica que tem por objetivo analisar o tráfego de busca num determinado site e sugere palavras-chave que deveriam compor a produção de novas publicações e conteúdos. Achei interessante, pois essa solução vai diretamente na questão da Cauda longa, puxando interesses, palavras "menos relevantes" para orientar novas "pautas"...

É, me parece que esse pode ser mais um braço interessante para a ecologia da webanalítica que venho montando, pesquisando e experimentando...

sexta-feira, 28 de novembro de 2008

ativando o Humaniza SUS em São Paulo

Essa semana a gente teve a oportunidade de experimentar um pouco mais sobre ativação de redes... Heheheheh... O tema tá sendo recorrente! Enfim, fim de ano, projetos fechando, relatórios, conclusões, análises, análises, indicadores e tals... Momento ótimo para refletir como foi o esforço do ano, alguns aprendizados e tals....

A gente iniciou uma proposta para a Rede Humaniza SUS de uma capacitação piloto que pudesse ser implantada no Brasil inteirio, como referência de ativação da Rede.

A pauta foi a seguinte:

Dia 01: Café HUmaniza SUS e Aquário.
Objetivo: apresentar questões que possam levar a reflexão do estar em rede e vivenciar a rede como estrutura de apoio a realização do trabalho, criatividade e inovação. O aquário é um momento para refletir mais a fundo algumas questões polêmicas que são geradas a partir do Café.







Dia 02: Apresentação da Rede e uso do laboratório para publicações de posts e recursos da Rede.
Objetivo: cadastrar os participantes e abrir espaço para que eles possam publicar seus primeiros posts.

ativando redes sociais

Ativação de redes sociais vem sendo um tema que venho estudando, pesquisando e propondo uma série de ações nos projetos em que estamos trabalhando. A parceria com o Cenpec tem sido extremamente interessante como um campo experimental rico e diverso, além de apresentar uma escala considerável para avaliar algumas premissas do que venho pesquisando.

Quando no início deste ano iniciamos as primeiras reuniões, a idéia básica era criar uma pauta para um encontro presencial que pudesse ajudar a ser o ponto de despertar para a formação de uma rede social online entre as organizações. Ativar uma rede é sempre um mistério, pois a diversidade cultural que se apresenta é algo extremamente subjetivo e certamente influi totalmente no andamento dos trabalhos.

Partimos de dois princípios básicos para a organização dos encontros:

1. seria fundamental trabalhar com atividades que permitissem vivenciar o estar em rede;
2. seria fundamental sair dos encontros com algo minimamente concreto de por onde caminhar para implementar esse estar em rede no cotidiano.

Ocorre que agora chegamos num momento de avaliar o que temos feito neste projeto. Momento muito interessante, pois tem sido rico o levantamento de indicadores, as possibilidades de análise e todo o estudo que venho conseguindo realizar com base nos dados que tenho na mão. O mais rico é ter acesso a essas informações, pode estudar dados desse porte.

Hoje, foi publicado dois vídeos pela equipe que dá uma idéia boa de como foram os encontros presenciais. Mais uma peça nessa ativação que vai se compondo...



segunda-feira, 24 de novembro de 2008

tempos...

de nós emergentes,
de janelas que falam,
de fluxos de sonhos,
de sonhos de conexões
e filhos caminhando...

Sociogramas, indicadores e Redes Sociais

Avaliando um projeto e brincando com os números....

sociogramas - Regionais Prêmio Itaú Unicef



Chegando a uma análise do projeto de ativação de Redes Sociais junto ao Cenpec.
Uma das melhores coisas desse projeto é a possibilidade que estou tendo de experimentar algumas novas formas de manipular essas informações e poder gerar alguns novos indicadores:

- taxa de conversação: baseado nas mensagens enviadas na lista em email em relação ao número de participantes;

- taxa de colaboração: uma junção da transitividade, centralidade e da taxa de conversação de uma rede.

Em tese, e isso precisa ser muito analisado para podermos chegar a algumas conclusões, essa taxa de colaboração começa a juntar dados provenientes da webanalítica tradicional com dados oriundos da análise de redes sociais. Essa é uma experimentação que tenho feito nos últimos e que pretendo avançar conforme alguns projetos vão chegando ao final e tenho condições de validar alguns conceitos que venho formando. Tem alguns princípios básicos que venho observando que podem ser considerados quando da formação de um novo indicador:

- normalizar os valores em base comum;
- utilizar fatores de normalização de base empírica em relação as médias a serem normalizadas;
- ser um valor que permita gerar ações rápidas e simples com base no efeito comparativo.

horizontes

terça-feira, 18 de novembro de 2008

novos horizontes

amizade...

reconhecer um amigo é um processo lento e gradual.
de afinar o pensamento, afinar a ação e caminhar no passo...

não há muito a dizer, apenas um agradecimento que vem da alma pela oportunidade de caminhar nessa direção.

guerreiros ainda andam pela terra!

Uma rede emergindo...

Cenário: Temos um ambiente de rede social super bacana, a moçada tá se cadastrando, tá postando, tá comentando e as coisas aparentemente estão indo bem no projeto. A questão é: como mostrar isso, como dar visibilidade a algo que é essencialmente interativo, é fluxo, é conversa, é gente falando com gente?

Bem, para isso a web vem sendo bombardeada de ferramentas de análise, gráficos, propostas e metodologias das mais diversas. Tem muita coisa interessante nisso tudo. Venho realizando alguns experimentos nas redes sociais em que estamos trabalhando para poder dimensionar algumas coisas e dar conta de contar histórias a partir das informações que consigo coletar e mostrar.

Vejamos algo em que estou trabalhando para a Rede Humaniza SUS:




Tá, e daí?
Bem, algumas coisas são possíveis de falarmos a respeito disso aqui:

1. esse lance de calcular uma taxa de conversação é bastante útil para mostrar se o nível de interatividade entre os usuários do ambiente está aumentando ou diminuindo. Isso pode ser mais um, veja, estou dizendo apenas mais um elemento para mostrar se uma rede está aquecida ou não.

2. veja como o pico de crescimento de usuários no mês de Agosto, que tem a ver com a Mostra Humaniza SUS circulando mais o Brasil, contribui diretamente para o aumento de publicações nos meses seguintes: setembro e outubro.

Enfim, muitos outros indicadores precisariam ser levantados e estudados para podermos chegar a alguma conclusão mais útil e específica. Mas, como exercício para análise, vale o teste!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

mapeando os projetos voltados para Terceira Idade no Acessa SP


Exibir mapa ampliado

alguns quesitos para comparar ferramentas webanalíticas

#1: Comparing Web Logs vs. JavaScript driven tools. Don’t.

#2: First & Third Party Cookies. The gift that keeps giving!

#3: Imprecise website tagging.

#4: Torture Your Vendor: Check Definitions of Key Metrics.

#5: Sessionization. One Tough Nut.

#6: URL Parameter Configuration. The Permanent Tripwire.

#7: Campaign Parameter Configuration. The Problem of the Big.

#8: Data Sampling. The Hidden “Angel”.

#9: Order of the Tags. Love it, Hate it, Happens.

diretamente do Avinash

ativando lan houses...

uma coisa que toda lan house tem de ter: sistema de gestão de controle de tempo.
tá, e daí?
e daí que esses sistemas, em geral, são softwares no modelo cliente-servidor, outra era e tals... foram feitos para um determinado paradigma computacional. por que não questionar isso? por que não usar essa brecha? por que não pensar na lan house web 2.0?

em conversa com o murilo, drica e hdhd....

"claro. o lance do controle de tempo foi apenas uma abertura que vejo possível. mas, para além do controle de tempo, tem o lance da gestão que me chama a atenção. pq a lan house é microempreendimento e só virou mania nacional pq. dá uma grana para segurar as pontas. e esse lance do controle é o caminho pra isso! além do quê, acaba sendo um software necessário para os caras.

agora, imagina o seguinte:
1. trabalhar na linha do desenvolvimento de mashups e não aplicativos;
2. criar soluções para lanhouse, tanto de gestão (o mote atrativo) quanto de "capacitação", redes sociais e tals, usando Open Social para que isso possa integrar no Orkut;
3. trabalhar num plano de webanalítica para poder mapear o processo emergindo;
4. trabalhar na ponta dos usuários (imagina o cara podendo criar no Orkut a comunidade da lan house e gerenciando o tempo de uso via Orkut, tipo, para ser usuário da lan, vai se integrando na comunidade do Orkut)... Algo nessa linha, mas entrando com apoio em eventos, divulgando cursos, conteúdos e tals.;... serviços que espalham."

e falando do que fazemos....

"Trabalhamos com pesquisa, desenvolvimento e projetos relacionados a área de tecnologia social. O objetivo do nosso trabalho é criar soluções que permitam que as pessoas possam se apropriar mais facilmente dos recursos tecnológicos para comunicação, colaboração, inovação e articulação em rede. Dessa forma, utilizamos recursos de hardware, software, sistemas de comunicação, experimentos científicos, sucata, arte e conceitos relacionados a ecologia e meio-ambiente. Uma parte essencial do nosso trabalho é criar espaços de colaboração entre as pessoas, sejam crianças, jovens ou adultos, para que eles possam interagir. Esses espaços podem ser ambientes físico, como laboratórios de inclusão digital, ou mesmo ambientes online, com simulações, espaços de conversação, entre outros."

cada vez a gente define de uma forma diferente!

terça-feira, 11 de novembro de 2008

sincronizando arquivos do GoogleDocs e locais

Trabalhando hoje por aqui no Mashable, achei essa preciosidade. Qual a idéia?

Manter os arquivos sincronizados no Google Documents e no seu hd local, ou seja, alterou algo online, muda no local, alterou local, muda online. Isso é algo fantástico, principalmente pensando na Web como plataforma, uma das premissas de base da Web 2.0. Não só deixamos os arquivos online, mas mantemos suas cópias locais organizadas. Boa! Simples!

Everyday sync, backup, and sharing as simple as can be.
The only all-in-one service that makes sure your files are everywhere you need them.

22 passos para um plano de Mídia Social

1. Blogs (Johnson & Johnson, Delta Air Lines)
2. Bookmarking/Tagging (Adobe, Kodak)
3. Brand monitoring (Dell, MINI)
4. Content aggregation (Alltop, EMC)
5. Crowdsourcing/Voting (Oracle, Starbucks)
6. Discussion boards and forums (IBM, Mountain Dew)
7. Events and meetups (Molson, Pampers)
8. Mashups (Fidelity Investments, Nike)
9. Microblogging (method, Whole Foods)
10. Online video (Eukanuba, Home Depot)
11. Organization and staffing (Ford, Pepsi)
12. Outreach programs (Nokia, Yum Brands)
13. Photosharing (Rubbermaid, UK Government)
14. Podcasting (Ericsson, McDonalds)
15. Presentation sharing (CapGemini, Daimler AG)
16. Public Relations - social media releases (Avon, Intel)
17. Ratings and reviews (Loblaws, TurboTax)
18. Social networks: applications, fan pages, groups, and personalities (British Airways, Saturn)
19. Sponsorships (Coca-Cola, Whirlpool)
20. Virtual worlds (National Geographic, Toyota)
21. Widgets (Southwest Airlines, Target)
22. Wikis (Second Life, T-Mobile Sidekick)

aqui!

sexta-feira, 7 de novembro de 2008

o bando em belem

e o bando vai se encontrando e se conhecendo por belem....



lelex, patricia cornills



jader gama, o famoso homem da metareciclagem na amazonia

Ewaste guide

Ainda no evento aqui em Belem, de inclusao digital, a Kiki me apresentou hoje um pessoal que me pareceu bem interessante. Sao pesquisadores de um instituto suico que trabalham supervisionando a reciclagem de computadores e eletronicos a uns 15 anos. Alem disso, atuam em algumas regioes da America Latina, com oficinas, apoio a projetos e seminarios.



Segue aqui alguns links que vale conferir:

E-waste guide
E-waste
STEP - Solving the E-waste Problem

Novas possibilidades de parceria se formando. Podem ser bem interessantes para os Seminarios que iremos fazer em 2009.

quinta-feira, 6 de novembro de 2008

Oficina de Inclusao Digital e MetaReciclagem

(estou montando esse post numa maquina sem acentuacao, depois pretendo corrigir isso)

SP, 10 de Outubro de 2008
Toca o telefone. Kiki Mori me convidando para participar da 7 Oficina de Inclusao Digital em Belem. Fazia tempo que eu nao participava das Oficinas, nao via a galera, nao sabia muito o que estava rolando. Concentrado na construcao do projeto WebLab.tk, nas questoes do Acessa SP, nas ativacoes de Redes Sociais, enfim, um pouco distante do universo de articulacao na Inclusao Digital. Como estamos tomando folego no projeto LixoEletronico.org, achei que seria uma otima oportunidade de vir aqui falar disso, apresentar MetaReciclagem com esse enfoque.

SP, 05 de Outubro de 2008

Vai para o aeroporto de tarde, espera na fila, demora, atraso, atraso, atraso.
Cadeira aperta, barra de cereal, musica da Xuxa, jornal do Obama, exame, exame, exame, exame...
Estudo, estudo, estudo. Pois eh, tenho prova para o doutorado na segunda-feira. Construindo sentido em todos esses textos aqui.
Exame, exame, exame... ops, dormi. Desperta e continua no exame.

Chego em Belem. Kiki no aeroporto esperando o povo. Peguei o taxi com o Rodrigo. Estava no quarto com o Ademir. A velha turma. Fazia tempo que nao via o povo do Sampa.org. Foi bom reencontra-los. Gente da militancia, da velha guarda, construindo seus projetos, articulando suas ideias.

Belem, 06 de outubro de 2008.
Desperto uma hora antes do combinado. Esqueci de mudar o relogio. Pilhado para montar a apresentacao, acertar os detalhes e tals. Cafe da manha. Exame, exame, exame.
Chego no Hangar, local onda ta rolando o evento. Muito bacana o espaco, bem amplo, estruturado, me supreendeu.



Finalmente, consegui encontrar o famoso e querido Regis, do projeto Bailux. O Regis eh um cara que admiro, por sua forca de vontade, sua pegada e sua determinacao em metaReciclar no Arraial, apesar de todas as dificuldades, a falta de apoio, as intemperies da caminhada. Eh fantastico ver uma pessoa que ja conhecia a anos dos emails, dos telefonemas. Coisa boa!



Andando pelos espacos aqui do evento, muita coisa bacana de MetaReciclagem pelos corredores. Eh bonito ver o movimento se espalhando, se viralizando, tomando corpo, ganhando espaco, produzindo sentido, sendo apropriado e sendo construindo por tantas maos como essas que para ca vieram.



Chega o horario da apresentacao. Eu ia dividir o espaco com o Eloir, um cara super bacana, coordenador dos projeto dos Maritas, la no Sul. Pessoa bacana, ia atuar com uma oficina de Robotica Livre, fazendo algumas experimentacoes com escovas de dente que andam. Eu escolhi trabalhar mais uma apresentacao devido a quantidade de pessoas. Tinha uns 200 por aqui. Falamos dos principios de MetaReciclagem, dos que nos guiou na construcao do projeto, dos primeiros momentos, de meio ambiente, dos problemas do lixo eletronico, das solucoes, do blog Lixo Eletronico. Foi bem interessante. Umas 20 pessoas vieram pedir copia da apresentacao no pen drive. Conheci um povo bacana. Troca uns cartoes. Enfim, uma nova rede armada para ajudar na construcao dos seminarios do Lixo Digital para 2009. E vamos em frente.





Amanha, conto mais! E vamo que o som nao pode parar!

terça-feira, 4 de novembro de 2008

em falando sobre cibercultura....

... achei isso no meio dos meus emails.
coisa fina! interessante saber que estou retomando esses temas nos ultimas dias...

sexta-feira, 31 de outubro de 2008

Construindo uma Rede de Projetos

A Rede de Projetos é uma ação do programa Acessa São Paulo que tem por objetivo desenvolver novas formas de utilização dos postos, permitindo espaços de livre apropriação.
Foi através dessa ação que cheguei para trabalhar mais próximo na Escola do Futuro, participando da construção efetiva da Weblab.tk, nosso grupo atual de trabalho, pesquisa e ação social.

Quando cheguei no projeto, busquei identificar o que tínhamos atualmente e o que realmente poderíamos fazer para tornar essa ação um espaço mais aberto, criativo e que permitesse que uma verdadeira rede pudesse emergir, não apenas como visibilidade de ação, mas sim como estrutura de colaboração, organização e comunicação entre os postos do Acessa São Paulo. Foi então, partindo destes princípios, que comecei a trabalhar.

Criamos, inicialmente, uma estratégia baseada em 3 frentes:

1. um novo ambiente online colaborativo para os projetistas da rede;
2. criar uma capacitação de 2 dias para trabalhar a idéia de projetos e criatividade com os monitores do Acessa SP. Seria uma forma interessante de mostrarmos as idéias do projeto, seus princípios, ações práticas que pudessem inspirar e estimular a rede como um todo;
3. criarmos ações de referência para a Rede de Projetos nas nossas oficinas que acontecem no Parque da Juventude, em São Paulo. Essas ações também ajudariam a movimentar a Rede e dar fluxo para a construção de novos projetos.


Bem, depois de alguns bons meses de trabalho, reuniões, alinhamentos, desenvolvimentos, testes e pilotos, enfim, a estratégia está entrando em operação e já podemos observar os primeiros resultados. Uma forma bacana de acompanhar isso é analisando os novos projetos que estão surgindo e as estatísticas do site:


1. Lista de projetos

2. Estatísticas do site

Nossos próximos passos serão acompanhar o encaminhamento dessas ações, o desenvolvimento dos projetos e os materiais que serão gerados.

quarta-feira, 29 de outubro de 2008

Redes sociais do Premio Itau Unicef

Depois de quase um ano de trabalho, vejamos onde estamos chegando...

Regional do Rio de Janeiro



Regional de Campinas




Regional de Belo Horizonte

quarta-feira, 22 de outubro de 2008

suporte a colaboração em redes p2p

finalmente, disponibilizando a tese de mestrado de uma forma fácil e rápida de achar, para além dos limites da biblioteca da Unicamp....

dois ebooks: apropriação e webanalítica

na tela de pesquisa, o univeso da sistematização da informação e como ela pode se tornar cada vez mais útil para fazer sentido as pessoas é uma busca constante.

dois novos ebooks que podem ajudar a a novas pistas no cenário geral:

Apropriações Tecnológicas: Emergência de textos, idéias e imagens do Submidialogia#3


Web Analytics - Uma visão brasileira

O primeiro é de uma turma conhecida, alguns parceiros de caminhada. Participei do submidialogia 2, se não me engano, quando foi em Campinas. Conversas interessantes, bons papos. O que andou de lá pra cá? Caberia ativação de redes sociais dentro das submidialogias? Será que as experiências que venho pesquisando ainda fariam sentido para essas pessoas?

O segundo vem de uma busca recente. Qual o alcance das nossas ações na Web? Números de acesso dizem bem poucas coisas, sendo úteis até um certo limite. Certamente, como venho descobrindo, há bem mais inteligência nisso tudo. A questão do propósito é tão complexa que chega a ser existencial no limite. Mas, enfim, o que é mesmo que estamos fazendo aqui?

terça-feira, 21 de outubro de 2008

ativação de Redes Sociais

desde o final de 2007 que venho trabalhando, de uma forma ou de outra, em experimentar diversas formas de estimular, incentivar conversas entre pessoas, grupos de trabalho, ativistas, jornalistas, formadores, entre vários outros perfis, com o objetivo de dar visibilidade aos processos de colaboração que a inteligência coletiva pode despertar.

algumas coisas que deu para aprender em relação a como podemos ajudar a emergência dessas redes:

1. não tenha sistemas de informação pré-concebidos. ativação não é produto, é processo. tenha uma ampla possibilidade de customização, desde desenvolver algo do zero até usar um serviço gratuito na web;

2. busque alguma forma de acompanhar os indicadores do que está acontecendo. vá além dos analytics tradicionais. tente entender a rede que está se formando. isso vai te ensinar muita coisa a respeito de para onde ir e, principalmente, para onde não ir;

3. não fique repetindo soluções. o que deu certo para uma situação dificilmente vai se adaptar para outras;

4. encontre formas, metodologias, tecnologias de conversação presencial que estimule as pessoas a interagir e criarem juntas. isso tem de ser sobretudo muito legal, senão, não tem razão. estamos falando de pessoas conversando em rede.Técnicas como Open Spaces, World Café, Inquérito Apreciativo, entre tantas outras podem ser utilizadas;

5. não foque em uma única frente, procure desenvolver habilidades numa ecologia de possibilidades. os projetos terão muito mais chances de darem certo. Mas, em quê?

- desenvolvimento e customização web: Drupal, listas, wikis, blogs,mashups, gadgets, programmable web;
- tecnologias de conversação: World Cafe, etc...;
- indicadores: WebAnalítica, Análise de Redes Sociais, pesquisas online;
- suporte: formas inteligentes, online de dar suporte aos participantes é fundamental. Sobretudo, quando a solução for personalizada;
- capacitação: tenha condições de montar capacitações específicas, para facilitar processos de apropriação das tecnologias e formas das conversações acontecerem.

aos poucos, vou relatando os resultados que vêm sendo obtidos com bases na aplicação desses conceitos.

deu no alerta no google...

segunda-feira, 20 de outubro de 2008

criando um novo projeto no Google Code

... para começar a brincar com os tais gadgets.


Hospedando no Google Code.

dando uma olhada em open social

Tutorial Open Social

Guia do desenvolvedor de Gadgets.

em especial, trabalhando com feeds.

um tanto de possibilidades de comunicação onde as pessoas estão.

eficiência

diretamente do livro "O contexto dinâmico da informação":

"Como Norbert Wiener nos fez lembrar, nossa eficiência como seres humanos dependo do que fazemos com este bombardeio de informações; o que ignoramos, o que aceitamos; como armazenamos, e como utilizamos este acervo de informações como guia para ações futuras em busca de conhecimento e sabedoria."

Interação é escolha.
Escolha é filtro.

visualização das redes..

dando uma rodada por aí, dá para perceber que tem gente tentando definir uma tal de web 3.0 como sendo algo mais visual do que tem sido até hoje.

sem dúvida, um dos grandes pontos a se criar, desenvolver, inovar é a forma de visualização da informação, que tem por capacidade apresentar uma grande quantidade de informação sintetizada se for bem feita.

esse processo de dar visibilidade a informação tem sido uma busca pessoal de alguns meses para cá. como mostrar ao outro aquilo que eu vejo? como facilitar com que outras pessoas possam se apropriar de conceitos, de possibilidades de experimentação e ampliarem seu repertório?

sobretudo, me interessa a visibilidade das redes. a produção em rede, a colaboração em rede, a criação em rede. sinto que estou nos primeiros 2 passos desse aprendizado.

então, nesse mesmo artigo falando da tal web 3.0 (que, particularmente, acho uma definição ruim para o mais do mesmo), achei um brinquedo interessante que tem a ver com visualização de redes e com websemântica: webbr!

segunda-feira, 13 de outubro de 2008

blogar é uma questão de generosidade...

venho estudando uma série de coisas interessantes nos últimos tempos, mas acho que dá para sistematizar isso em 3 vertentes básicas:

1. análise de redes sociais e webanalítica, de forma a dar vibilidade a dinâmica das interações que percebemos nos projetos em que estou participando;
2. formas de conversação em grupo: venho descobrindo e aplicando diversas maneiras de juntar pessoas para conversarem, aproveitando melhor seu raro tempo para a produção de idéias, processos de trabalho e organização de seu próprio fluxo de pensamento;
3. a História do desenvolvimento do homem em termos de seu processo de compartilhamento e difusão da informação.

Os ítens 1 e 2 estão sendo mais práticos do que propriamente teóricos. Alguns projetos bacanas, onde consigo aplicar essas análises e esses encontros acabam por ajudar a mapear as possibilidades do que tenho pela frente. Segue aqui:

- Rede Humaniza SUS
- Rede de Projetos
- Educação e Participação

O ítem 3 é mais teórico, puxando referências de artigos e livros que me foram indicados para a prova de Doutorado na área de Ciência da Informação, que irei prestar dentro de alguns dias.
Descobrir essa busca incessante e a forma como ela vem e foi sendo desenvolvida pelo homem conta muito do que somos e para onde estamos indo.
Da prensa, das revistas, dos jornais, das bibliotecas, da busca por organizar, juntar informação, compartilhar, facilitar achar os dados e levar as fontes...
Processo rico e interessante! Sobretudo, motivador!

Enfim, blogar é uma questão de generosidade!

e vamos em frente!

quarta-feira, 1 de outubro de 2008

MetaReciclagem no 14º congresso da Abed

Já faz algum tempo que venho trabalhando com o CENPEC, graças a uma indicação do meu amigo Hernani Dimantas.
Bem, ocorre que a gente vem junto experimentando a aplicação da metodologia de Ativação de Redes Sociais em alguns projetos, sobretudo no Tecendo Redes e no Prêmio Itaú Unicef.
Publicamos no congresso da Abed um artigo que busca dar uma panorama, ainda muito superficial, de como estamos desenvolvendo isso... Veja o artivo aqui!

Só para ilustar, essa tem sido a forma como estou trabalhando a minha metareciclagem.

segunda-feira, 25 de agosto de 2008

Mixando blogs e mapas...

...nos últimos tempos, uma busca pessoal tem sido de trabalhar novas formas de visualização e produção de contexto da informação. Tenho conseguido alguns avanços bem interessantes no campo da visualização da informação com mapas, usando principalmente a api do Google Maps. Bem, desde a semana passada eu estava buscando uma forma de integrar um feed RSS de um blog dentro de um ponto georeferenciado. Descobri algumas formas interessantesde fazer isso:

- usando a Google Feed Ajax API e seus objetos google.feed.control (um pouco mais complexos de lidar);
- usando embeds de IFRAMES diretamente nos objetos GinfoWindowTab no JavaScript que gera os mapas. Esse método me parece bem mais simples e facilita bastante a geração do código.

Fiz um teste no ambiente da Rede de projetos. Dá uma olhada aqui!

Nesse teste, eu usei o RSS Mixer para gerar o Iframe. As possibilidades são enormes...

brincando de Drupal no RHS...

...bem, estamos com uma nova lista de demandas para a Rede HUmaniza SUS que o ricardo nos enviou na semana passada. Algumas coisas bem interessantes para melhorarmos o sistema. Hoje, comecei a brincar com as novas funcionalidades aqui e descobrindo mais coisas interessantes do Drupal.

Uma delas, que achei bem inteligente, foi de colocar uma opção de menu "entrar" e "sair" na barra principal. Bem, se vc. colocar "logout" e "user/login" em opções diferentes, mas com o mesmo peso na posição da barra, o drupal separa cada uma delas quando logado e deslogado. show!

tá lá! Achei referências sobre isso aqui na comunidade drupaleira!

quinta-feira, 21 de agosto de 2008

trabalhando na Rede de Projetos...

Semana passada, fizemos uma avaliação do módulo piloto que executamos para a capacitação Rede de Projetos. Algumas demandas de modificação no site surgiram. Vou trabalhar um pouco nelas e aproveitar para documentar por aqui o que estou fazendo:

1. na página de blogs, o povo sentiu falta de um link para permitir que o usuário conectado pudesse blogar a partir dali. bem, criei um bloco e coloquei naquela página, visível apenas ali para usuários logados.

2. precisamos ter mais dados dos usuários que se cadastram. dessa forma o perfil, da forma como se encontra no site não está dando conta. Estou agora buscando melhorar essa possibilidade. O caminho que estou encontrando para isso é:

- ativar o Módulo Profile do core do Drupal que estava desativado: ativei o módulo e configurei os campos necessários - Nome completo, idade, postos (usando a lista de múltipla escolha, interesses, tempo no acessa, etc...);


por enquanto, isso!

quinta-feira, 14 de agosto de 2008

Brincando de consultas no banco de dados - Drupal...

tirei um tempo hoje para brincar com algumas formas de consulta aos bancos de dados do Drupal. Uma forma de aprender mais como funciona essa estrutura para poder customizar consultas...

Se vc. quiser consultar quais foram os posts mais comentados de um site, aqui vai:

//This is numbers per page
$num_per_page = 5;

//actual query

$query = "SELECT nid,comment_count FROM {node_comment_statistics} ORDER BY comment_count DESC";

//the count query should be similar to the query above
$count_query = "SELECT COUNT(*) AS comment_count FROM {node_comment_statistics} ORDER BY comment_count DESC";

//pager_query function
$result = pager_query($query, $num_per_page, 0, $count_query, $user_load->uid);

//dont forget

while ($node = db_fetch_object($result)) {
$output .= node_view(node_load(array('nid' => $node->nid)), 1);
}

$output .= theme('pager', NULL, 5, 0);

print $output;

quinta-feira, 7 de agosto de 2008

comentando sobre a apresentação no Fórum de Tecnologias Sociais...

bem, no post abaixo deixei a apresentação que usamos hoje de tarde.

alguns pontos bacanas que valem a pena mencionar:

- a contextualização de tecnologias sociais ainda é algo muito aberto e nem sempre estamos falando de uma base comum na qual podemos falar do território em que habitamos;
- o eixo apropriação de tecnologia aparece em muitas falas, mas muito velado por uma real prática do processo de aprendizagem autônomo, experimental e prático;
- metareciclagem é uma opção de processo de apropriação que pode ser extendida para muitas áreas, onde o problema a ser resolvido é a efetiva apropriação do meio;
- o slide que mencionamos da ecologia de lixo eletrônico e inclusão digital funcionou de uma forma interessante para podermos criar uma visão sistêmica do que estamos falando. eu diria que vale a pena aprofundar mais nisso e entrarmos num nível de compreensão mais profundo desse processo. tem ouro aqui!

apresentação do Centro de Recondicionamento...

falando de MetaReciclagem no Impacto Social...

fui convidado essa semana pela ONG Oxigênio, através da Martha, para dar uma força numa apresentação, na Conferência Inovação para o Terceiro Setor, sobre o Centro de Recondicionamento de Computadores (CRC), que eles têm em Guarulhos. Uma boa oportunidade de xemelizar com MetaReciclagem...
e lá vamos nós... mais tarde coloco a apresentação online e comento como foi!

quarta-feira, 30 de julho de 2008

construindo wikis...

Stand Alone Wikis

pikiepikie

Corendal Wiki - A free and open source wiki package directed at corporate users. It’s been a while since it has had any updates.

DokuWiki - Aimed at small companies’ documentation needs. Offers templating and plugin support.

FlexWiki - A free and open source wiki built on the .NET framework.


GetWiki - A modified version of MediaWiki that provides new features including XML importing.

IpbWiki - A system that integrates MediaWiki with Invision Power Boards to make for a whole new wiki experience.

JAMWiki - A Java based clone of MediaWiki that uses the same syntax for things such as footnotes, templates and more.

MediaWiki - The same software that powered the omnipresent Wikipedia, MediaWiki is a PHP based, customizable system that is one of the most popular solutions due to its familiarity.

Mindtouch - Free and open source wiki if you choose to run it on your own host, but if you prefer a managed solution for an enterprise install, they offer various managed solutions.

MoinMoin - Has different built-in templates and allows for the support of documents. Popular framework being used by the likes of the GNOME and Ubuntu sites.

Ogham - A wiki-like CMS system that runs in JavaScript and is aimed at people who feel standard wikis are too technically challenging.

PHPWiki - One of the oldest wiki solutions, first appearing in December 1999.

PikiePikie - Files are stored in such a way that they are easily manipulated with a text editor on the server, and has safeguards against spammer attacks that make it easy to roll back edits.

PmWiki - Built more for non-IT people and those that have no wiki background. Easy to change skins and appearance.

QwikiWiki - Built for speed and minimal features, QwikiWiki is built for ease and a quicker learning curve.

TikiWiki - A content management system capable of handling many different jobs, but as the name implies, it favors wikis.

Wikka Wiki - Forked from Wakka Wiki, Wikka has some new features such as support for mindmapping.
Wiki Farms

pbwiki

@wiki - A completely free wiki service that offers WYSIWIG editing and password protected posts.

ClearWiki.com - Gives you your own subdomain, up to 10 users, 256 MB of storage for the free accounts, does have paid solutions with more of everything. Directed towards businesses.

EditThis.info - Allows you a free 25 MB MediaWiki install with unlimited users and pages.

eTouch SamePage - Allows teams to work in a collaborative environment on projects, free version allows for up to 5 users, 3 projects and 15 pages.

LittleWiki - Create a public or private free wiki with WYSIWIG or plain text editors.

Netcipia - Free wikis with no limits on what you can do and even allows you to monetize your site to sell your expertize on a subject.

On-Wiki - Somewhat directed towards academics and business in that it allows media, graphs, plotting and more for free.

PBWiki - Offers free wikis, but they only have 10 MB of space. Paid solutions start at $99.50 a year. The service offers password protected wikis for private or corporate situations.

ScribbleWiki - A MediaWiki hosting service that has free accounts for personal use and paid solutions for companies that need their pages ad-free. Site has tech support and a few other premium features.

ViaWiki - Offers free 25 MB sites and paid solutions for multiple users up to an unlimited number.

Wetpaint - A free wiki farm that focuses on bringing together the wiki format with blogs and forums. Very much directed towards fan-style sites.

Wiki-Site - Free MediaWiki accounts for individuals and groups, paid accounts get unique domains, access to stats and no advertisements, amongst other perks.

Wikia - Co-founded by Jimmy Wales of Wikipedia fame, Wikia has to approve each wiki that is started, and they have to be believed to draw a large amount of traffic and editors.

Wikidot - 300 MB free Wiki for whatever you want, Google AdSense can be placed in your wiki with you keeping 80% of the revenue.

Wikispaces - Starts at free 2 GB site for friends and families up to paid white label solutions.

XWiki -Offers free solutions as well as paid options for enterprise users. Allows for application development and embedding in pages, along with RSS feeds to keep teams up on changes.

segunda-feira, 14 de julho de 2008

avançando na pesquisa com mapas...





avançando na pesquisa de mapas, achei esse mapplet muito interessante.
o nível de recursos dele me parece muito bom, sendo que o que mais me chamou atenção foi o fato de vc. pode anexar um feed específico para um ponto do mapa.

O código dele tá aqui!

conexão com os ancestrais...

sexta-feira, 4 de julho de 2008

ferramentas para se organizar...

minhas buscas ultimamente tem sido no sentido de como posso me organizar melhor, estruturar a quantidade enorme de informação que recebo e que preciso produzir.

bem, ocorre que estou estudando um livro muito interessante e uma das melhores leituras desse ano, sem dúvida, que é "A Arte do Gerenciamento de Projetos".

além de trazer algumas dicas e toques muito simples, pois o livro não tem absolutamente nada de técnico em gerenciamento de projetos, ele dá vários caminhos interessantes que o autor percorreu em suas pesquisas pelo mundo afora.

um site que ele indica e eu achei muito interessante remete a uma lista de ferramentas para organizar idéias e pensamentos.

vale a pena conferir. pode auxiliar um tanto no dia a dia....

terça-feira, 24 de junho de 2008

manual da rede de projetos....

produzimos aqui no Acessa esse pequeno manual para orientar as atividades e comunicar melhor o que é a tal da Rede de projetos para os postos do Acessa SP.

buenas, tá facilitando um bocado a circulação da informação por aqui:


segunda-feira, 23 de junho de 2008

Deu na Folha: Brasil é campeão mundial no uso de comunidades, diz estudo

Saiu aqui:

"

O Brasil é o país que mais usa sites relacionados a comunidades, tanto em horas gastas nesse tipo de site quanto no número de acessos. Dados divulgados nesta quinta-feira (19) pelo Ibope/NetRatings indicam que, em abril deste ano, 17,5 milhões de pessoas navegaram nesses portais utilizando conexão residencial --o maior número entre os dez países analisados pela empresa.

Nas contas do Ibope/NetRatings, o brasileiro fica, em média, cinco horas por mês em sites relacionados a comunidades. Nos outros países, esse valor não passa das duas horas, com exceção dos internautas do Reino Unido, que gastam duas horas e meia nesses portais.

A empresa inclui na categoria "comunidades" as páginas de redes Orkut e MySpace, blogs, microblogs, bate-papos, fóruns, grupos de discussão, mundos virtuais e outros sites semelhantes que reúnem grupos de interesse e de relacionamento.

Em abril deste ano, 17,5 milhões de pessoas utilizaram essas páginas por meio de internet residencial, o equivalente a 78,2% dos internautas ativos do mês. Depois do Brasil, vem o Japão, com 67,1%, seguido por França (60,9%), Espanha (59,6%), Itália (59%), Reino Unido (56,6%), e Estados Unidos (56,3%), Austrália (52,2%), Suíça (42,7%) e Alemanha (37,7%).

Faixa etária

De acordo com o Ibope, além dos adolescentes, crianças e adultos são responsável por esse crescimento das redes sociais no país. "Não é uma mudança [o uso por crianças e adultos] tão considerável quanto a existente no Reino Unido, mas já significa uma tendência a ser observada", afirma a empresa, no estudo.

'Esse maior interesse dos adultos pelas redes sociais indica que as empresas já podem começar a explorar o potencial das comunidades para um melhor relacionamento com esse público pela internet', diz o texto.

Os dados da pesquisa indicam que o Orkut continua líder absoluto desse mercado no Brasil, mas outras redes começam a aparecer na lista. Em abril, o Orkut recebeu 15,2 milhões de acessos, segundo o Ibope, seguido pela Sonico.com, com 1,7 milhões de usuários únicos, e o MySpace, com 868 mil.

O Facebook, que é um dos líderes mundiais nessa área, tem uma participação pequena no Brasil. Fica atrás de Via6, Hi5 e Habbo, com 365 mil usuários no mês."


pois é, é um caminho que ainda tem MUITO para ser pensado, construído, explorado e interligado...     
Blogged with the Flock Browser

Ativando em Goiânia...

testando... 1... 2... 3...
Blogged with the Flock Browser

segunda-feira, 9 de junho de 2008

falando de metareciclagem na lista...

... meta é sempre uma surpresa... hoje, me peguei pensando em tudo isso de novo e revisitando alguns momentos de aprendizado. contei isso aqui por lá, respondendo um email de uma nova participante, a Laura:

laura,

muito bom seu email e sua compreensão do que é metareciclagem...
concordo contigo, é um estilo de pensar e agir...
no final, vc. me pergunta a respeito de alguma contribuição sobre o que estão fazendo... bem, eu diria algumas coisas que venho aprendendo nos últimos anos por aqui e por outras caminhadas....

  1. tenha paciência em seu processo criativo e no desenvolvimento de seu trabalho. não serão todos que vão entender e dar valor a ele, mas os que se conectarem com isso terão uma possibilidade profunda de mudar a forma como entendem algumas questões relacionadas a sua forma de lidar com a tecnologia e, por tabela, consigo mesmo;
  2. as conexões que a rede gera possibilitam novas formas de praticarmos essas ações que projetamos e que acreditamos profundamente terem valor para nós mesmos e para os outros. faça conexões, conte suas idéias para as pessoas e procure sempre criar sentido e responsabilidade naquilo que estás fazendo;
  3. em geral, nossa ação gera expectativa e daí vem a nossa responsabilidade. a carência de criatividade é ampla e mostrar o novo e praticar o novo gera novas conexões inevitáveis. são coisas boas e que nos alimentam sempre com novas possibilidades de nos recriarmos;
  4. publique suas idéias assim que as tiver. elabore a si mesmo dentro desse coletivo, dessa forma ampla e, muitas vezes, difícil de se ver nele;
  5. crie, crie, crie...
e mais uma vez, seja bem-vinda!

abs,
dalton

sexta-feira, 6 de junho de 2008

aula de redes socias na comcom...

a turma do Gens (os camaradas Isis e Donizete) me convidaram para dar uma aula sobre Redes Sociais no curso de Formação em Comunicação Comunitária. Montei essa apresentação abaixo. Esse tipo de convite me ajuda muito a estruturar e compilar um pouco do pensamento e das pesquisas que vem sendo desenvolvida ultimamente, principalmente em dois eixos:
  • indicadores de redes sociais a partir da análise de capital social;
  • representação visual das redes sociais através de sociogramas.
é isso!